INCT In-Tree

Café Científico discutirá se os barulhos da cidade podem mudar o canto das aves

Por .

Evento é organizado pelo INCT IN-TREE em parceria com organizações interessadas na divulgação científica.

Pelo fato das aves usarem seus cantos como uma forma de comunicação, os ruídos urbanos exercem forte pressão sobre esse comportamento, fazendo com que seus cantos sejam modificados.

Essa é a principal ideia que será apresentada na palestra “o barulho das cidades mudam o canto das aves?” no Café Científico Salvador, evento gratuito que promove uma maior aproximação entre cientistas e sociedade civil.

café científico

O evento acontecerá no dia 18 de julho às 18h30 no Mercadao.cc (Mercadão Criativo e Colaborativo), um centro cultural localizado no Rio Vermelho. O palestrante será o prof. Dr. Henrique Batalha Filho, membro do Laboratório de Evolução e Biogeografia (LEBI) da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Para participar, basta comparecer ao local. Não é necessário inscrição.

O canto

O processo de urbanização tem provocado diversas alterações nos habitats naturais e, com a expansão acelerada dos centros urbanos, essas mudanças têm se tornado um desafio cada vez maior para as espécies. Entre os desafios impostos pela urbanização, estão os distúrbios sonoros, que têm bastante efeito em espécies que usam comunicação sonora em suas interações dentro da mesma espécie e com organismos de espécies diferentes.

Estudos em diferentes continentes têm mostrado que algumas espécies de aves conseguem ajustar seu canto em resposta à poluição ambiental. Entretanto, a maioria destes estudos envolveu espécies de regiões temperadas, com raros estudos feitos em regiões tropicais, onde se encontram a maior diversidade de espécies e habitats. Dessa forma, entender como as populações de aves das regiões tropicais se adaptam a ambientes urbanos ecologicamente diferentes é uma questão importante.

Durante a palestra, o professor Henrique Batalha apresentará os resultados de pesquisas sobre ajustes no canto de algumas espécies de aves ao longo de um gradiente de ruído urbano no município de Salvador. Também serão abordadas possíveis consequências evolutivas do processo de urbanização.

Sobre o projeto

O Café Científico Salvador é promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências (UFBA/UEFS), pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Estudos Interdisciplinares e Transdisciplinares em Ecologia e Evolução (INCT IN-TREE) e pela LDM – Livraria Multicampi, em parceria com o Shopping Paseo Itaigara e o Projeto Ciência na Rua.

Esse projeto existe desde setembro de 2006 e, por isso, se configura no projeto mais longevo de popularização da ciência da história da Bahia. Seu início se deu graças ao Prof. Dr. Charbel El-Hani, que ainda é um dos organizadores do projeto. “Li um artigo num periódico científico e conheci a iniciativa francesa Café Scientífique. Logo fiquei interessado em organizar o projeto. Contei com a ajuda de alunos e de um primo responsável pela livraria LDM Multicampi, que até hoje tem parceria com o projeto”, disse o professor.

Serviço

O quê? Os barulhos da cidade mudam o canto das aves?

Quando? 27 de junho de 2018 (Quarta-Feira)

A que horas? 18:30h

Onde? Mercadao.cc (Mercado Criativo e Colaborativo), na Rua Guedes Cabral, 20 – Rio Vermelho, Salvador. Ponto de referência: quase em frente à Paróquia de Sant’Ana.

Para saber mais:

Reportagem do G1: http://g1.globo.com/natureza/noticia/2012/11/aves-adaptam-canto-de-acordo-com-volume-de-ruido-urbano-diz-estudo.html

Assista a Cafés Científicos anteriores online: tinyurl.com/cssalvador

Para mais informações, ligue para a sala do professor organizador do evento, Charbel El-Hani: (71) 3283-6568.

Sugestão de leitura: Slabbekoorn H. (2013). Songs of the city: noise-dependent spectral plasticity in the acoustic phenotype of urban birds. Animal Behaviour 85: 1089-1099.

Sugestão de leitura: Gil D., Brumm H. (2013). Avian Urban Ecology: Behavioural and Physiological Adaptations. OUP Oxford, 248 páginas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *