Blog

Estudante da FACOM promove Oficina de Artes integradas para crianças e adolescentes

Por Kelven Figueiredo.

A ação cultural será realizada em parceria com o Projeto Educacional Música para a Cidadania (Proemuci) que funciona no bairro da Engomadeira

Idealizado pela estudante de Produção Cultural da Facom, Géssica Figueiredo, o projeto OFARTIN acontece neste sábado, 5, no Espaço Cultural da Engomadeira. A ação envolve a realização de uma oficina que mistura dança, teatro, música e artes em geral  ministradas em parceria com o Projeto Educacional Música para a Cidadania (Proemuci). “O objetivo é agregar conhecimento sobre as artes, para crianças e adolescente da comunidade e frequentadores do projeto Proemuci”, explica a jovem.

Os participantes das oficinas serão divididos de acordo com os grupos etários . A ação será realizada, inicialmente, apenas com os integrantes do Proemuci. No entanto, para que a oficina aconteça, é preciso materiais específicos para o trabalho. Esse fato foi o que motivou Géssica a buscar a plataforma colaborativa Rede Logos. “Além dos materiais precisaremos de aluguel e/ou doação de instrumentos que também serão utilizados pela equipe técnica da ação cultural”, explica.

As crianças e adolescentes que participam das atividades do Proemuci, já experienciam oficinas de músicas, pedagógicas e sociais. Por isso, o projeto pretende possibilitar a eles novas oportunidades de aprendizagem, usando como instrumento as artes integradas. A ideia é estimular  a criatividade, conhecimento do corpo e a espontaneidade ao desenvolver a sensibilidade. Esta ação cultural está sendo realizada como atividade da disciplina COM 136 – Planejamento e Elaboração de Projetos Culturais.

O Proemuci foi criado em 2013 e possui como meta a formação de indivíduos mais cidadãos através da música e interdisciplinaridade. O projeto funciona com escala de voluntários, alguns participam  mais de uma vez ao mês. A iniciativa é mantida por meio de doações tanto de instrumentos musicais e materiais no geral, como lanches para os participantes. Em média são 60 crianças e adolescentes, cujas mães também participam de oficinas realizando atividades direcionadas especialmente para elas. Além disso, muitas destas crianças não têm os pais, mas já são pais, uma vez que o bairro tem uma incidência alta de gravidez na adolescência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *