INCT In-Tree

O que é o IN-TREE?

Por .

O INCT: é a sigla para Programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia, um programa coordenado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia que tem como objetivo agregar os melhores grupos de pesquisa em áreas de fronteira da ciência e em áreas estratégicas para o desenvolvimento sustentável no país. INCT

Um desses INCT é o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Estudos Interdisciplinares e Transdisciplinares em Ecologia e Evolução (IN-TREE). Esse instituto tem como objeto central a relação entre ciência, tecnologia e sociedade, bem como o desenvolvimento de projetos sobre questões de pesquisa em ecologia e evolução.

A característica fundamental do instituto é a realização da pesquisa a partir de uma abordagem interdisciplinar e transdisciplinar. Nesse caso, há a integração de várias áreas do conhecimento para o desenvolvimento do projeto. Física, computação, geologia, filosofia das ciências, histórias das ciências, educação científica, economia, comunicação, ciências agrárias, sociologia ambiental e rural se juntam à biologia para desenvolverem pesquisas na área de ecologia e evolução.

Além disso, a característica transdisciplinar permite que os projetos entrem em interação e comunicação com a sociedade, o que envolve o trabalho colaborativo com instituições não acadêmicas e escolas da educação básica.

Tais projetos são conduzidos por diversos laboratórios associados ao IN-TREE. Eles são divididos em Projetos Temáticos (PT), que estão diretamente relacionados com as questões de pesquisa e evolução, e integradores (PI), que se relacionam com os projetos temáticos apontando perspectivas inter- e transdisciplinares.

 

Lista dos Projetos Temáticos realizados pelo IN-TREE:

 

PT1: Função e restrição na ecologia e evolução.

Coordenadores: Professores Nei de Freitas Nunes Neto (UFBA) e Charbel Niño El-Hani (UFBA).

Objetivo: Analisar usos do conceito de função em ecologia e evolução, e dar continuidade ao desenvolvimento da abordagem organizacional de função aplicada a estas ciências e à gestão ambiental.

 

PT2: Perda de habitat e biodiversidade: Integrando efeitos evolutivos e ecológicos e aproximando a ciência da prática ambiental.

Coordenador: Professor Eduardo Mariano Neto (UFBA);

Objetivo: Investigar o papel de fatores ecológicos e históricos na determinação da biodiversidade de paisagens fragmentadas de Mata Atlântica, identificando os mecanismos subjacentes e desenvolvendo ferramentas para gestão ambiental.

 

PT3: Serviços de polinização em agroecossistemas

Coordenadores: Professores Blandina Felipe Viana (UFBA); Danilo Boscolo (USP-Ribeirão Preto) e Fabiana Oliveira da Silva (UFBA).

Objetivo: Investigar manejo e conservação de polinizadores e dos serviços de polinização em paisagens com matriz agrícola, por meio de planos de pesquisa colaborativa e interdisciplinar.

 

PT4: Distúrbios naturais e antrópicos na Baía de Todos os Santos: Estudos teóricos e empíricos aplicados à conservação da biodiversidade marinha (DiNA-BTS)

Coordenador: Professor Francisco C. R. de Barros Jr. (UFBA).

Objetivo: Avaliar o efeito de distúrbios naturais e antrópicos em diferentes assembleias biológicas da Baia de Todos os Santos (BTS).

 

PT5: Determinantes ecológicos de padrões de diversidade atuais e históricos de comunidades biológicas do estuário do rio Paraguaçu.

Coordenador: Professor Eduardo Mendes da Silva (UFBA).

Objetivo: Investigar os efeitos da fragmentação hidrológica sobre padrões de estrutura e função de comunidades biológicas passadas e atuais da bacia hidrográfica do estuário do rio Paraguaçu, através de pesquisa empírica e desenvolvimento de modelos teóricos e computacionais preditivos.

 

PT6: Modelagem ambiental nos biomas Caatinga e Mata Atlântica: Geodiversidade e biodiversidade como estratégias de conservação territorial

Coordenador: Professor Washington de Jesus Sant`Anna da Franca Rocha (UEFS).

Objetivo: Desenvolver e aplicar estratégias metodológicas usando ferramentas de modelagem ambiental para monitoramento, planejamento e conservação dos biomas Caatinga e Mata Atlântica.

 

PT7: Biodiversidade, serviços ecossistêmicos e produtividade em agroflorestas de cacau

Coordenadoras: Professoras Eliana Cazetta (UESC) e Deborah Maria de Faria (UESC).

Objetivo: Desenvolver pesquisas sobre as relações entre diversidade de espécies, serviços ecossistêmicos e produtividade em sistemas agroflorestais de cacau, considerando gradientes de intensificação do manejo local das plantações e de cobertura florestal na paisagem, que permitam avaliar implicações socioeconômicas e ambientais associadas à intensificação do uso da terra, bem como propor critérios para conciliar produção e conservação ambiental na região cacaueira, com ênfase nas plantações tradicionais no sistema de cabruca.

 

PT8: A sociobiodiversidade do Litoral Norte Baiano: pesquisa interdisciplinar sobre os saberes e as práticas naturais, a mobilidade, as dinâmicas territoriais e o desenvolvimento rural sustentável em um bioma de Mata Atlântica

Coordenadora: Professora Lídia Maria Pires Soares Cardel (UFBA).

Objetivo: compreender a sociobiodiversidade do Litoral Norte baiano a partir da análise dos saberes e práticas socioeconômicas tradicionais e das formas de mobilidade executadas pela população local, das dinâmicas territoriais estabelecidas e das perspectivas de desenvolvimento rural sustentável.

 

PT9: Uso de coprodutos da fruticultura tropical na produção de mamíferos neotropicais como alternativa de uso sustentável por produtores rurais do sul da Bahia

Coordenadores: Professores Selene Siqueira de Cunha Nogueira (UESC) e Sérgio Luis Gama Nogueira Filho (UESC).

Objetivo: investigar aspectos da fisiologia digestiva, comportamento e sanidade do caititu (Pecari tajacu), como espécie modelo, visando aprimorar sistemas de produção de mamíferos neotropicais como alternativas de uso sustentável por pequenos produtores rurais, associando-os à produção de frutos que podem ser usados na alimentação dos animais, diminuindo custos e estabelecendo um fluxo fruticultura-pecuária.

 

PT10: Evolução da perda de biodiversidade em áreas em processos de degradação no estado do Ceará

Coordenadores: Professores Francisca Soares de Araújo (UFC), Lorenzo Roberto Sgobaro Zanette (UFC) e Rafael Carvalho da Costa (UFC).

Objetivo: Compreender relações entre tempo/intensidade de uso da terra e variações de diversidade (genética, funcional, específica) em áreas sob processo de degradação/desertificação, com base na reconstrução da evolução histórica a partir de microfósseis e do estado atual da diversidade.

 

PT11: Genes, canto e socialidade: Diferentes abordagens no estudo da variação geográfica

Coordenadores: Professores Hilton Ferreira Japyassú (UFBA) e Henrique Batalha Filho (UFBA).

Objetivo: Investigar covariação entre sistemas genéticos e comportamentais ao longo do espaço, testando hipótese de que plasticidade fenotípica leva a relativa independência entre fenótipo comportamental e variação genética, reduzindo correlação entre estruturas espaciais genética e comportamental.

 

PT12: Integrando plantas e animais para melhor compreendermos a evo-devo e a evolução da diversidade de organismos multicelulares

Coordenadores: Professores Emilio de Lanna Neto (UFBA) e Ana Maria Rocha de Almeida (UFBA).

Objetivo: Investigar papel de redes de regulação gênica (GRNs) e módulos dinâmicos de padronização (DPMs) no estabelecimento da polaridade do plano corporal em organismos multicelulares e seu papel na evolução da diversidade de padrões corporais.

 

PT13: Estudos evolutivos de parasitas humanos: biologia de patógenos, filogenia, filogeografia e plasticidade fenotípica

Coordenadores: Professores Leandro Martins de Freitas (UFBA) e Paula Carvalhal Lage Von Buettner Ristow (UFBA).

Objetivo: Realizar estudos evolutivos de organismos infecciosos causadores da doença de Chagas e leptospirose, através de reconstruções filogenéticas, investigações da estrutura populacional, avaliação da plasticidade fenotípica e pesquisas sobre evolução de genes relacionados ao comportamento cooperativo em bactérias.

 

Lista dos Projetos Integradores realizados pelo IN-TREE:

 

PI1: Modelagem matemática, computacional e estatística aplicada à ecologia e evolução

Coordenadores: Professores Flora Souza Bacelar (UFBA) e Paulo Inácio de Knegt López de Prado (USP).

Objetivo: Construir e avaliar mecanismos de interação e grupos de trabalho heterogêneos para modelagem computacional, matemática e estatística em ecologia e evolução, dando apoio aos objetivos de modelagem dos projetos temáticos.

 

PI2: Epistemologia e ética aplicadas à ecologia e evolução

Coordenadores: Professores Nei de Freitas Nunes Neto (UFBA), Leila Costa Cruz (UFBA), Fabiana Oliveira da Silva (UFBA) e Clarissa Machado Pinto Leite (UFBA).

Objetivo: Construir referenciais teóricos (frameworks) integrados de sistemas ecológicos ou evolutivos, usando contribuições da epistemologia da ciência e da ética ambiental, e dar apoio aos estudos epistemológicos/éticos dos projetos temáticos.

 

PI3: Aproximação entre ciência e prática na área ambiental e na construção de uma educação transformadora em ecologia e evolução

Coordenadores: Professores Pedro Luis Bernado da Rocha (UFBA), Charbel Niño El-Hani (UFBA) e Renata Pardini (USP);

Objetivo: Construir e analisar modelos de interação com a sociedade, visando diminuir lacuna pesquisa-prática e melhorar compreensão e eficiência no uso do conhecimento ecológico e evolutivo na tomada de decisão e nos processos educacionais.

 

PI4: Comunicação estratégica e interação com a sociedade em questões ecológicas e evolutivas

Coordenador: Professor Adriano de Oliveira Sampaio (UFBA);

Objetivo: Promover interface entre INCT e agenda midiática e social, buscando fomentar discussão pública sobre conhecimento científico construído para/com a sociedade em relação à ecologia, evolução e conservação da biodiversidade.

 

PI5: Projeto de inovação tecnológica do INCT IN-TREE 

Coordenador: Professores Cristina M. Quintella (UFBA) e Washington de Jesus Sant`Anna da Franca Rocha (UEFS).

Objetivo: Identificar itens patenteáveis nos desenvolvimentos feitos pelos laboratórios associados, particularmente softwares de análise de dados, softwares de apoio ao ensino de ecologia e evolução, incluindo jogos eletrônicos educacionais e tecnologias sociais para interação com atores e instituições não-acadêmicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *