Blog

UFBA: rede de habilidades e talentos

Por Lucas Arraz e Greice Mara.

Nos mais diversos ramos da arte, nossa universidade concentra uma verdadeira rede de habilidades                                                           

Dentro e fora dos cursos como Música, Cinema, Dança e Design, a UFBA celebra a arte através dos seus estudantes. As habilidades são diversas e os projetos se ramificam em múltiplas áreas. Quadrinistas, poetas, desenvolvedores de jogos e contrabaixistas de orquestras que produzem seus projetos em suas respectivas áreas podem se conectar através da Rede Logos. Nós fomos atrás de alguns desses talentos que agora têm a possibilidade desenvolver seus projetos pessoais sem gastar com isso, usando apenas a rede de colaboração coletiva.

João Lucas ‘Musca’

Por conta de sua admiração pelo body art e pela arte gráfica minimalista, João Lucas, estudante de Design, produz sua arte digital em um misto de minimalismo e soturno, geralmente carregado de expressão.

O estudante, que compartilha a maior parte do seu trabalho em sua página no Facebook, está sempre buscando novos projetos e ideias para torná-los reais a fim de estabelecer um diálogo com seu público e estabelecer ponderações a respeito de diversos temas em diferentes contextos. Para o jovem, o grande desafio de todo artista é justamente promover essa reflexão para fomentar a visibilidade e a discussão de tópicos importantes.

Desde novo João sempre teve muito gosto por desenhar e destaca o apoio da família (sobretudo de sua mãe) quando, ao descobrir a proximidade entre área e seu amor por desenhar, precisou sair de sua cidade natal, Porto Seguro, para cursar a faculdade em Salvador.

Caio Ribeiro

Caio, apesar de ter bastante relação com o desenho desde pequeno, tem como um de seus planos futuros o desenvolvimento de jogos indie, com uma temática mais alternativa, fugindo do que é tradicional no mercado a exemplo dos jogos de RPG, de plataforma e de corrida.

Enquanto o processo de desenvolvimento de jogos ainda não se iniciou, o estudante de Ciência da Computação conta que além de desenvolver, majoritariamente, seus desenhos de forma tradicional, vem há alguns anos produzindo arte digital, através da pixel art que é, basicamente, o desenho gráfico construído através de pixels colocados manualmente em seus lugares.

O jovem considera a arte como algo extremamente importante em sua vida e diz que ama observar o trabalho de outras pessoas e criar coisas diferentes em sua imaginação. Além disso, acredita que a arte lhe dá sensação de conforto e de refúgio.

Matheus Marques

Matheus é poeta e começou a escrever no colégio. Inspirado pelas aulas de literatura do Ensino Médio, o aluno do sétimo semestre de Letras tem hoje no repertório “Inerência”, sua primeira coletânea de poesias autorais em forma de livro .

Publicado de modo independente, o livro  reúne as primeiras poesias do autor, escritas durante o período  escolar e os primeiros anos de faculdade para o blog pessoal  “De novo Caras Pálidas”.

Com estilo de poesia que permeia entre o Barroco e o Romantismo, atualmente, o jovem busca uma editora para lançar seu segundo livro, mas afirma que a Bahia ainda sofre com falta de oportunidades para jovens poetas. Entretanto, Matheus não desiste, afirma que a poesia é uma necessidade para ele e que pensa.

Mário Vasconcelos

Experimental e autodidata, foi assim que Mário Vasconcelos se iniciou no mundo das esculturas em cerâmica ainda com 14 anos . Aos 23 anos entrou no curso de Artes Plásticas da EBA com o objetivo de seguir a carreira de escultor. E assim o fez.  A primeira mostra de trabalhos do artista, Do existencial, foi exposta na Galeria ACBEU.

As obras de Mario Vasconcelos, dentro e fora da exposição, costuram refletir os estudos do escultor em cultura africana. A escolha por trabalhar com cerâmica, segundo o artista é apropriado para retratar o tema. Mais do que trabalhar com cerâmica comum, Mário trabalha com barro cerâmico, pois acredita que assim consegue ao mesmo  tempo estar em contato com os quatro elementos: fogo, terra,água e o ar.

Juliana César

Juliana tem como foco principal a pintura, onde costuma trabalhar com a poética de expressividade dos sentimentos em cores geralmente fortes e formas geométricas. Além disso, gosta de trabalhar com uma diversidade de técnicas e estilos, mas mantém, como uma marca pessoal, o uso de olhos e espirais: “ Os olhos são os espelho da alma, as espirais, o mistério da vida, assim como se centra, ela também para, se encontra, se retorce e, então, desce e sobe novamente em graciosas curvas”, conta a estudante do Bacharelado Interdisciplinar em Artes.

Recentemente Juliana e mais sete colegas da UFBA, tiveram um projeto aprovado pela PROEXT. O projeto fez parte da programação do Congresso UFBA 70 anos e foi exposto na Biblioteca Central, na Ondina, com o título “Arte de Mulher”.

Atualmente a jovem tem se aventurado na área audiovisual e afirma estar gostando muito. Entre seus planos para o futuro, está  seguir carreira acadêmica no campo das Artes Plásticas e, paralelamente, continuar a trabalhar com projetos de cinema e audiovisual.

A arte é um elemento bastante presente na vida de Juliana. Ela é filha de artesão e de poetisa e se descobriu artista aos 11 anos. Desde então, dedica-se, através de participações em oficinas artísticas realizadas no MAM (Museu de Arte Moderna da Bahia), no Palacete de Artes Rodi Bahia e na Caixa Cultural, em adquirir conhecimentos e aprimorar técnicas.

Tiago Santos – @Arttigo

Se você já passou pela Ribeira para tomar sorvete, com certeza já viu um dos trabalhos gráficos do artista Tiago Santos pendurados na mais tradicional sorveteria do bairro. Mas além de artista gráfico, o estudante de Design escreve, desenha e ilustra suas próprias histórias em quadrinhos.

O quadrinista,conhecido como @arrtigo na sua conta oficial no Instagram, começou a dar vida às suas histórias cedo. Quando criança,  criava narrativas infantis por diversão. Na medida em que os anos passaram, a brincadeira de Tiago Santos virou arte e trabalho.

Hoje, o quadrinista se prepara para lançar sua segunda história original intitulada “O marinheiro só”. A HQ é feita em serigrafia e tem previsão de lançamento para janeiro de 2017. Sobre a história, o autor faz questão de guardar segredo. Essa será a segunda obra publicada por Tiago que já tem no currículo a HQ “Freelancers”, lançada no FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos) no ano passado.

Kívia Santos – Música

Kíva Santos, aluna do curso de Música, é contrabaixista da orquestra  NEOJIBA e já esteve em duas turnês internacionais e numa apresentação beneficente ao lado de Ivete Sangalo. Isso pode parecer prematuro para quem vê a jovem de 22 anos nas apresentações da orquestra jovem da Bahia. Mas não é para Kívia. A jovem tem uma trajetória de anos na música. Começou quando tinha 5 anos  e pediu para a mãe retirá-la das aulas de ballet e colocar na mesma sala de música onde estava sua irmã.

Antes mesmo das aulas com a irmã, que na época tinha 2 anos, Kívia afirma ter participado de musicais e aulas de iniciação musical na escola. A jovem começou tocando violino e depois foi para o contrabaixo, instrumento com o qual tocou ao lado de grandes nomes da música erudita atual, como a pianista Martha Argerich.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *