Blog

KRT UFBA desenvolve estudos práticos no setor automobilístico

Por Glenda Dantas.

A equipe é formada por estudantes das engenharias Mecânica, Elétrica, de Produção, de Controle de Automação de Processos e do BI em Ciência e Tecnologia

 

Com o objetivo de proporcionar uma experiência prática da futura profissão para os estudantes dos cursos de engenharia, que surge a Equipe KRT UFBA. O projeto compete na Fórmula SAE (Society of Automotive Engineers), categoria automobilística universitária idealizada para simular o mercado de carros tipo Fórmula, avaliar potenciais demandas de clientes e contribuir para a formação sólida dos futuros engenheiros.

O grupo foi constituído na Escola Politécnica em 2001, mas somente competiu pela primeira vez em 2011, ainda sem carro, apresentando só projetos. Desde então,  participou de outras quatro competições, apresentando um carro em todas as etapas, que são voltadas para testar o desenvolvimento do produto. O KRT UFBA não tem fins lucrativos e se constituiu como espaço de constante aprendizado de estudantes  das engenharias Mecânica, Elétrica, de Produção, de Controle de Automação de Processos e do Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia. Atualmente, 30 estudantes voluntários compõem a equipe.

Foto: Arquivo da Equipe
Foto: Arquivo da Equipe

Entre as mais de 50 equipes de diversas universidades brasileiras, a KRT UFBA ficou no 16º lugar, na última etapa da competição realizada em 2016, no Brasil. Os protótipos foram concretizados sob a coordenação do professor do Departamento de Engenharia Mecânica Ailton Junior, com a colaboração de docentes e estudantes que atuam desde o desenvolvimento do projeto até a manufatura e validações dos testes dos carros em alta velocidade.

Durante a Campus Party Salvador, o projeto foi apresentado para o público externo à UFBA. Fadylla Maron, graduanda em Engenharia Mecânica e capitã da equipe, aponta que o fato de terem sido selecionados para o Campus Future “significa que temos um projeto consistente, inovador e inventivo”. Ela considera ter sido uma oportunidade de fazer networking (rede de contatos) e divulgar as empresas apoiadoras.

Dificuldades – Apesar de contar com  parcerias e patrocínios de empresas privadas, a equipe enfrenta dificuldades financeiras. Por isso, os estudantes precisam dividir-se entre fazer projetos de engenharia e arrecadar dinheiro, o que Maron considera “prejudicial ao andamento do projeto por conta desse tempo despendido”.

Um carro de Fórmula SAE competitivo, no exterior, despende cerca de U$$100 mil, enquanto A KRT UFBA trabalha com peças reutilizadas e orçamentos anuais próximos a R$ 15 mil. Com o propósito de sanar parte dos problemas financeiros, a equipe vende rifas desde 2015. Além disso, promovem almoços beneficentes em parceria com restaurantes da cidade. A última edição foi uma espécie de rodízio de Yakissoba, onde cada cliente pagou 25,00 e pode comer à vontade. Com a ação, a equipe arrecadou R$4.500,00. Eles trabalharam na compra dos ingredientes, preparo da comida e no atendimento ao público.

Foto: Arquivo da Equipe
Foto: Arquivo da Equipe

Outra forma de angariar fundos é através de parcerias e patrocínios de empresas. “Temos um procedimento para pedido de patrocínio e buscamos empresas que acreditem em nossos objetivos para nos auxiliarem com serviço, permuta e verba para o projeto”, explica Fadylla. A UFBA, através do setor de transportes, fornece ônibus e caminhão para a equipe viajar para a competição, e a oficina onde eles trabalham no prédio da Escola Politécnica.

Além da falta de recursos financeiros, a KRT UFBA sofre com a pouca visibilidade, não somente em Salvador, mas também na própria universidade.“Nós representamos nossa universidade, mas sentimos que poucas pessoas ainda conhecem o nosso trabalho”, queixa-se a chefe da equipe. No entanto, ela acredita que a situação tem mudado.

Participar de projetos como o KRT UFBA proporciona ao aluno aprendizado prático de engenharia, ás vezes antes mesmo de ter visto o assunto em sala de aula, melhorando até a fixação dos conteúdos. Para a equipe, todos os estudantes das  engenharias deveriam ter a oportunidade de participar de algo assim por, no mínimo, seis  meses. Eles  acreditam que a contribuição não se limita à formação “mas também com trabalho em equipe, cumprimento de prazos, orçamento apertado e quase todas as dificuldades que um engenheiro tem em uma empresa”.

Ainda esse ano, o KRT UFBA participa da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, no Salvador Shopping, nos próximos dias 28 e 29 de outubro. E, de 30 de novembro a 3 de dezembro, competem na edição 2017 da Fórmula SAE, que acontece em Piracicaba-SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *